29.9.06

Certinho!


Ultimamente, com a situação calamitosa em que vivem os conceitos ensinados por nossos papais e mamães, fica difícil dizer o que é certo e o que é errado quando separamos o mundo do ser do mundo do dever ser, no Direito fazemos muito isso, dividimos o que deveria ser do que é, e não acho que isto esteja errado, acho que o erro esta quando nos acomodamos e aceitamos essa realidade. Uma coisa é saber joga o jogo e tentarmos modificá-lo para melhor, outra e jogar e se enfiar no que é ilegal, imoral sob a desculpa de que é “assim mesmo”.
Você deve ta pensando: “lá vem ele falar em política de novo”, mais isso não é somente sobre eleições ou sei lá o que, é sobre nosso dia a dia. Venho tratar, na esfera mais simples, daquela situação em que você sabe que é errado mas, mesmo assim, pratica o ato por que “todo mundo faz”. Quer exemplos?? Olha aí: Quando você joga lixo no chão, ou quando fura uma fila, ou ainda quando recebe um troco errado e não concerta (logicamente quando vem a maior). Quem não já fez isso? Quem não faz isso?
Já, na esfera mais gravosa, tenho que falar das eleições. Sabe aquele papo de que voto nele por que rouba mas faz? De que é “menos pior”? Ou ainda de que vai ser melhor pra mim por que meu pai trabalha para este ou para aquele candidato? Esse tipo de justificativa me dá um embrulho no estômago, uma angustia. Tal tipo de gente, que usa essas desculpas para justificar o voto, não percebe que por mais que ele faça, por mais que seja “menos pior”, ou por mais que o seu pai ou parente lucre com isso, ainda assim, este candidato, será um ladrão, um pior e não pensará no todo, o que é a função dele. E você eleitor ou será um burro, por votar num ladrão “menos pior” (isso nem existe!!) ou um egoísta por pensar só em si mesmo.

Não quero fazer parte da continuação dessa ideologia da hipocrisia, do erro consentido, vou me revoltar e por mais imaturo e “tonto” que pareçam minhas atitudes, farei, a partir de agora, tudo certo, sem pensar em como é, mais como seria se fosse do jeito correto. Não quero ser perfeito, mais quero ser honesto e integro (esse é o espírito). Vou “encher o saco” de quem acha que é compreensível ser ilícito. Ninguém me botou no mundo pra ser LADRÃO, EGOÍSTA, BURRO, OU “MENOS PIOR” (com o perdão do erro gramatical). Vou dá orgulho ao Brasil por me ter como cidadão. Isso e ponto!

4 comentários:

D r i c a disse...

Boa! É assim que tem que ser ... É assim que é!

Bjus

Ricardo Soares disse...

Isso é bem difícil! Vamos ver se você consegue! rs

Abraço

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Itaciara disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.