3.8.06

Sótão

Essa semana, escutando música (e confesso que não tenho um gosto muito normal para um ser humano de 19 anos), uma frase despertou minha audição. Em uma música de Lenine surge o tema que resolvi abordar nestas poucas linhas: SE NA CABEÇA DE TODO HOMEM TEM UM PORÃO ONDE MORAM O INSTINTO E A REPRESSÃO, DIZ AI O QUE É QUE TEM NO SÓTÃO??
Bom, no começo me pareceu só uma frase bem bolada, depois, analisando com mais calma decidi definir o que seria, para mim, o sótão. Não entendo muito de arquitetura, mas imaginei da seguinte forma: Porão é onde se guardam as coisas que são usadas esporadicamente, de acordo com determinada situação. Já o sótão seria um local mais sombrio, onde ficam as coisas que não utilizamos, por medo ou por falta de ocasião.

Visto isso percebo que o sótão seria o local que se recorre em casos extremos, ou seja, quem usa é por que não tem mais saída, é aquilo ou é aquilo... Lembro-me agora de uma celebre frase dita em um episodio ocorrido em nosso congresso, “...os meus instintos mais primitivos...”. Acho que o sótão é isso, e acho que é por falta de sua utilização que estamos desta forma, cada vez mais frustrados, stressados, incompreendidos....
Vivemos em uma sociedade em que o que é bonito será dito
previamente, onde ter opinião é coisa de intelectual, onde nos vamos a escola para saber o que já ta foi descoberto, nunca vamos para tentar descobrir. Vivemos num local onde nem pensar é preciso, “deixe a vida te levar” acho que esse deveria ser o slogan de muitas empresas.
Por isso, venho aqui, propor uma faxina em cada sótão, esqueçam a sala, a cozinha, o quarto, todos os cômodos já foram corrompidos, só nos resta agora destrancar a porta do nosso caráter, o sótão que é nossa essência.
Convido você amigo do cyber espaço a dizer....O que é que tem no seu sótão??

2 comentários:

D r i c a disse...

Rapaz... vc ta cada dia melhor!
Eu juro que quando li o tema não pensei tão fundo. Parabéns!!
É um texto que li e pensei "queria ter escrito isso" ;)

Bjuss

Rico Gaetanni disse...

Cada dia escrevendo melhor hein? Parabéns, boa análise!

Abraço